ECOBIO Produtos Orgânicos
Olá, Visitante! Conecte-se em sua conta ou cadastre-se.

Pesquisa traça perfil do consumo de alimentos na próxima década

Publicada em 01 de Abril 2011.

O alimento da próxima década será mais saboroso, saudável, de preparo fácil e rápido, de qualidade assegurada, sustentável e ético. O consumidor buscará comida que traga os mais amplos benefícios a preço mais acessível. Haverá maior complexidade no rol de produtos para se alinhar às cinco macrotendências globais da alimentação: Sensorialidade e Prazer, Saudabilidade e Bem-Estar, Conveniência e Praticidade, Confiabilidade e Qualidade e Sustentabilidade e Ética. Um produto que agregue todos os benefícios é o que procura a indústria alimentícia que já oferece alimentos mesclando as tendências.

As mudanças virão para atender ao desejo do consumidor que está mais crítico, mais bem informado e exigente a respeito de fatores sociais e ambientais e decidido a buscar produtos mais saudáveis. Outros fatores que influenciam a modificação de hábito e padrão de consumo é a redução do tamanho da família, a entrada na mulher no mercado de trabalho, o aumento no poder de compra, no nível de escolaridade e na expectativa de vida. Esse cenário está traçado no projeto Brasil Food Trends 2020, feito pelo Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, e pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

O documento foi organizado a partir de pesquisas em mercados com os quais o Brasil mantém intercâmbio comercial e cultural e foram validadas por estudos elaborados por centros de referência internacionais. Para verificar se as tendências observadas no exterior se aplicavam ao consumidor brasileiro, a Fiesp solicitou ao Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope) pesquisa nacional que traçasse o perfil de consumo de alimentos no Brasil. "Houve forte aderência brasileira às tendências de consumo encontradas em outros países do mundo", informa o diretor-geral do Ital, Luis Madi.

TENDÊNCIAS E ESTRATÉGIAS

A análise das tendências da alimentação com seus impactos e a pesquisa Fiesp/Ibope são para fornecer informações estratégicas à indústria alimentícia para nortear pesquisa, desenvolvimento e inovação e criar alimentos que atendem às novas exigências e preferências do consumidor, afirma Madi. "É nossa função antecipar as tendências de alimentação do futuro e prover as pequenas, micros e médias empresas de informações estratégicas para que elas possam se desenvolver com mais competência".

Para atender ao neoconsumidor, como está sendo chamado, deverão entrar em cena ingredientes mais seguros, embalagens ambientalmente adequadas e com informações nutricionais detalhadas, novos processos produtivos e novos ambientes de consumo. Tudo deverá ser criado especialmente para cada uma das macrotendências. Uma loja do futuro para a tendência sensorialidade e prazer precisa ter ambiente (virtual e real) diferenciado, ser confortável, com entretenimento e tecnologia (TV, vídeo, computador), rotisseria e mix de produtos sob medida.

MACROTENDÊNCIAS/2020

A partir dos benefícios e preferências desejados e esperados pelo consumidor, o estudo do Ital/Fiesp trouxe alguns exemplos de produtos inovadores que ilustram como os alimentos podem atender às novas tendências. Para entender melhor, imagine as macrotendências como grandes famílias. A família da Sensorialidade e Prazer é a que mais gosta de comer por prazer, são os apaixonados por comida (foodies). Como em toda grande família, há preferências individuais. O mesmo vale para macrotendências que têm as suas microtendências.

Fazem parte desta família o premium, o indulgente sem culpa, o escape da rotina diária e o gourmet. O premium gosta de versão sofisticada de alimentos tradicionais com variação de sabor, texturas e novos estímulos sensoriais. Consome café, água mineral, chocolate com algo a mais, um pequeno luxo. Trata-se de produto mais elaborado e destinado a quem tem maior renda, mas estará acessível a público menos restrito sob a condição "hoje vou me dar ao luxo de ...". Bem representativo em países em desenvolvimento.

O indulgente sem culpa quer consumir guloseimas calóricas e gordurosas com a consciência tranquila, por isso escolhe versões zero, light, sugar free e em porção reduzida. Consome chocolate que combine benefícios do amargo (saudável), gourmet (sabor), orgânico (preocupação ambiental) e fairtrade (empresa com responsabilidade social). O escape da rotina é fã de comida exótica e prefere alimento com apelo lúdico e interativo. Inclui-se nesse segmento o público infanto-juvenil, com suas especificidades, adepto de divertimento e interatividade.

O gourmet escolhe receitas tradicionais ou originadas em restaurantes e, se possível, com participação de chefs de cozinha ou com assinatura deles. Gosta de provar sabores característicos de outros países (étnicos e exóticos) e de produtos sofisticados que tragam melhorias nas refeições domésticas. O estudo vê grande oportunidade para o Brasil explorar isso já que produz iguarias exóticas muito apreciadas no exterior (açaí, caju).

SAUDÁVEL E PRÁTICO

A família Saudabilidade e Bem-estar preza o natural, integral, puro. Integra esta família o saudável e nutritivo, light/diet, fortificado e energético. O saudável e nutritivo dá preferência ao alimento natural e fresco (frutas, hortaliças e verduras, cortadas e embaladas), mas aceita o minimamente processado ou com adição de frutas e grãos. O diet/light fica de olho na embalagem checando calorias e ingredientes para ver se não compromete a dieta alimentar ou não prejudique sua saúde porque é diabético, idoso, alérgico.

O fortificado quer ingredientes probióticos, prebióticos, simbióticos e antioxidantes para melhorar problemas de saúde e prevenir doenças (colesterol, osteoporose, câncer, hipertensão). O energético é adepto de alimento que melhore o desempenho físico e mental e que tenha propriedades cosméticas que retarde o envelhecimento.

A família conveniência e praticidade valoriza a comodidade, a facilidade e a rapidez e quer do básico ao mais elaborado. Tem a turma do prático para preparo e a do snack. A primeira escolhe pratos prontos e semiprontos, para forno e micro-ondas e alimentos de fácil preparo e, de preferência, com embalagens de fácil abertura, fechamento e descarte. A do snack quer saciar a fome onde estiver, em diferentes lugares e situações, e ter tudo pronto e em porção individual.

CONFIÁVEL E ÉTICO

A família Qualidade e Confiabilidade procura por garantias de qualidade e de segurança estampadas nos rótulos das embalagens dos produtos. Divide-se em naturais e orgânicos e qualidade e segurança. Ambos gostam de embalagem ativas e inteligentes. O primeiro escolhe os naturais e orgânicos para fugir de ingredientes artificiais. O outro tem ouvido ainda mais sensível a palavras como selo de segurança, certificação, rastreabilidade, identificação da origem.

A família Sustentabilidade e Ética segue o lema "comer bem fazendo o bem" e divide-se em fairtrade e carbon footprint. É adepta de embalagens recicláveis e recicladas. A primeiro prefere produto proveniente de empresa fairtrade, ou seja, que tenha comportamento sustentável, ético e sem maus-tratos a animais. Não resiste ao apelo à solidariedade e à participação em projetos sociais. A carbon footprint (pegada de carbono) prefere alimentos com menos "pegadas" de carbono, ou seja, menor impacto ambiental ou que contribua para a preservação da vida na Terra.