ECOBIO Produtos Orgânicos
Olá, Visitante! Conecte-se em sua conta ou cadastre-se.

Comércio de orgânicos deve dobrar até a Copa

Publicada em 09 de Abril 2011.

Imagem 57"Comercialização ultrapassou a marca de R$ 350 milhões em 2010 e área plantada soma atualmente 7,7 milhões de hectares o consultor Moacir Kretzmann aposta em queda de preço com aumento de demanda"


Curitiba - A comercialização de produtos orgânicos vem crescendo nos últimos três anos no Brasil. Só em 2010, as vendas destes alimentos tiveram um incremento de 40% em relação a 2009. No ano passado, foram vendidos de R$ 350 milhões a R$ 400 milhões e a previsão é que até 2014 esse valor dobre. O crescimento está ligado a uma maior consciência do consumidor em colocar produtos mais naturais à mesa.
Em média, o orgânico é cerca de 25% a 30% mais caro que o produto convencional, mas já há casos de produtos com valor igual ou até menor. E a tendência é que estes alimentos fiquem mais baratos nos próximos anos. O produto é mais caro porque tem uma composição nutricional, sabor e consistência diferenciados, além de mais durabilidade. O assunto foi discutido ontem em uma palestra que aconteceu no Mercado Municipal, em Curitiba, dentro da programação "Caravana Copa Orgânica Brasil 2014".
Um estudo da Organics Brasil aponta que a área plantada no Brasil chega hoje a 7,7 milhões de hectares e teve um crescimento de 20% a 30% nos últimos dois anos. "A tendência é que o produto orgânico chegue para mais pessoas e mais barato", disse o consultor do Instituto Biosistêmico, Moacir Kretzmann. De acordo com ele, o perfil do consumidor é de pessoas com terceiro grau, renda superior a dez salários mínimos e comprador fiel dos produtos.
Para o produtor, o custo de produção pode ser reduzido em até 50%. Antes de iniciar a produção orgânica, primeiro é restabelecida a fertilidade da terra. Isso significa que a área precisa passar por um processo de conversão da agricultura convencional para a orgânica que demora cerca de dois a três anos. Entre os principais benefícios destes produtos estão a preservação ambiental, a parte social por estimular a permanência do agricultor no campo, além das vantagens para a saúde humana.
Hoje, os agricultores familiares são responsáveis por 70% a 90% da produção de orgânicos e o restante fica com os grandes produtores.
De acordo com o organizador da Copa Orgânica no Paraná e Rio Grande do Sul, Cláudio Pinheiro, no Paraná, o evento ainda vai passar por Colombo, Mandirituba e São José dos Pinhais. O trabalho começou em São Paulo no dia 21 de fevereiro, agora está no Paraná e, em seguida, vai para o Rio Grande do Sul. Ainda estará presente no Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Cuiabá, Brasília, Salvador, Recife, Natal, Fortaleza e Manaus. O evento encerra em 24 de julho.
"O nosso objetivo é fomentar o mercado para gerar mais negócios, aumentar a produção agrícola e o consumo", disse. Segundo ele, essa é uma primeira etapa do trabalho e deve ser realizada uma segunda em 2012 que ainda não tem data definida.
A Copa Orgânica vai passar pelas 12 cidades-sede da Copa do Mundo e 44 cidades vizinhas. Com três veículos, material didático, equipe de técnicos especializados e palestrantes, a caravana espera atender a um público total de 3 mil pessoas. Todas as atividades serão gratuitas. A previsão é percorrer todas as localidades até julho deste ano. O resultado dos trabalhos será apresentado na 7 edição da Bio Brazil Fair, grande evento do setor, que acontece de 21 a 24 de julho, em São Paulo.